Adeus código aberto, olá código fechado

O usuário Jotoco publicou um texto no fórum, e pediu que eu o utilizasse como base para um texto a ser colocado aqui no blog. Vou fazer um pouco diferente…eis o texto dele. E depois a minha opinião.

Hoje a Nokia anunciou uma parceria estratégica com a Microsoft para Smartphones.

Dessa forma ela irá adotar o Windows Phone 7 como sua principal plataforma para dispositivos inteligentes, enquanto transformará o Symbian numa franquia e o MeeGo num experimento, basicamente.

Alguns pontos importantes:

Nokia irá inovar em cima da plataforma como ceder sua experiência em câmeras, onde é líder isolada no mercado;
Nokia vai ajudar a desenvolver o windows phone e ainda terá benefícios exclusivos para se diferenciar no mercado;
Nokia (Ovi) Mapas vai ser o principal serviço de mapas do Bing (não só do windows phone);
Bing será o serviço oficial da Nokia;
Nokia e Microsoft irão unir forças no quesito de Marketing e estratégias de mercado, basicamente vendendo um “MicroNokia”;
Ovi Loja será absorvida pela Windows Marketplace;
Extinção do Qt (que mal saiu do forno);
Extinção do MeeGo (que terá 1, e apenas 1 dispositivo lançado este ano).

Algumas considerações que eu gostaria de fazer sobre o que ocorre hoje.

Primeiro, por que a Nokia não fechou parceria com o Google?
De acordo com a informação à imprensa, ela tentou, mas o Google não ofereceu nenhuma oportunidade da Nokia se diferenciar no mercado, ficando sendo apenas “mais uma” fabricante de Android, sem nenhum diferencial importante.

O que difere com a Microsoft?
No caso, parece que o acordo deixa a Nokia com mais liberdade para manipular a plataforma da Microsoft, na união de lojas a Nokia acaba levando algum dinheiro, ela impõe o Nokia (Ovi) Maps para todos os SERVIÇOS (não só smartphones) da Microsoft e tem uma plataforma para se lançar no mercado Norte Americano.

Por que isso é bom pra Nokia?

Bom, primeiro que ela leva uma chacoalhada geral e a imagem da empresa vai ser completamente refeita nos próximos meses e anos, o que é bom já que a maioria das pessoas tem uma visão negativa da empresa neste momento.

Só de anunciar a parceria veja o quanto mudaram os títulos das matérias da imprensa Norte Americana sobre a companhia, e veja como estão tratando diferente a Nokia, já ganhou respeito. O mercado Norte Americano é muito xenófobo com empresas estrangeiras, e a Nokia não fazia questão nenhuma de parecer americana, além da política de vendas de Smarts desbloqueados não ser utilizada nos EUA, onde tudo é subsidiado com contratos e a Nokia não utiliza esta tática tanto e da mesma forma que as outras.

A integração a uma loja de verdade (desculpe Ovi Loja) vai ser interessante, e a associação a uma outra grande marca vai mudar a percepção de mercado da empresa.

Por que isso é péssimo pra Nokia?

Ela deixa de ser uma fabricante diferenciada, que possui toda sua cadeia de produção (como a Apple) e passa a ser uma fabricante de Smartphone, somente. Apesar da diferenciação que a Microsoft possibilitará para a Nokia, que não sabemos o quão grande será, acredito que será muito difícil para os clientes diferenciarem a marca Nokia das outras fabricantes de Windows Phone. Assim como no Android, onde não há uma diferenciação completa da marca com a plataforma, a Nokia corre o risco de sumir no meio dos outros.

A quantidade de dinheiro que a Nokia perdeu com desenvolvimento do Symbian^3 e MeeGo, além da Ovi Loja é absurda. Sim, a Nokia era a empresa que mais gastava com Desenvolvimento dentre todas as fabricantes de smarts. E todo esse esforço foi jogado no lixo.

Além de tudo isso, fica a perda de confiança dos clientes existentes que ficarão abandonados. A Nokia ainda é a empresa que tem mais smartphones vendidos no mundo, de muito muito longe, e essa população vai ficar com um gosto bastante amargo na boca (mais ou menos como os donos de n900).

O MeeGo com essa sofreu uma morte prematura, vai ter lançado somente 1 aparelho este ano pra “ver no que dá” e depois, caso não seja um sucesso estrondoso (e com uma estratégia dessas, não vai ser), será enterrado ainda vivo.

A perda da Ovi Loja, no entanto, pode ser o maior baque no faturamento da Nokia. Loja online são um filão enorme, onde o custo de operação é baixíssimo e o lucro absurdamente alto, basta olhar para os lucros da Apple. Ela tem um faturamento muitas vezes menor que de outras empresas (inclusiva que a Nokia) mas seu lucro é infinitamente maior, pois seus custos são ínfimos. Não sabemos ao certo se a Nokia leva parte do bolo na venda do Windows Marketplace, mas duvido.

Ao final parece que a Nokia simplesmente aceitou que não é mais uma fabricante diferenciada no mercado e aceitou se juntar a Motorola, HTC, LG e outras e ser só mais um nomezinho escrito do lado do celular Windows Phone, e não a grande empresa que era até hoje. Com isso ela pretende aumentar a margem de lucro operacional para 10%, mais que dobrando a atual, mas acredito que irá cair em muito o seu faturamento.

É muito difícil saber o que vai acontecer com a Nokia agora. Um prazo de 2 anos para lançar um aparelho novo com um sistema desconhecido pela empresa é, mercadologicamente falando, muito longo, e empresarialmente falando, muito curto!

É muita ingenuidade acreditar que os aparelhos saem das cabeças dos projetistas e engenheiros para as linhas de produção em algumas semanas. O processo leva muito tempo! Você pode ter certeza que neste momento a Apple já está pensando no iPhone 6 (ou talvez até no 7), sendo que o 5 nem foi lançado ainda.

E contar com a ingenuidade do mercado para comprar aparelhos com um sistema que acabou de morrer (Symbian) também é contar demais com a sorte.

Na questão do Android eu até concordo com a Nokia: ela seria apenas mais uma no meio de tantos outros. Os seus produtos teriam que ser migrados, e quase todos são inferiores à concorrência. O portal Ovi não disse a que veio. A loja de música…..ainda existe? A loja de aplicativos…..bem, se fechar ninguém sentirá falta.

O único produto dela que vale algo, além do hardware, é o Ovi Maps. E mesmo assim nem tanto pelo programa de navegação em si, pois há outros no mercado tão bons quanto, mas sim pela Navteq, que é a provedora dos mapas do programa, e que pertence à Nokia.

O acordo é muito mais interessante para a Microsoft do que para a Nokia. Para a primeira é apenas mais uma tentativa de voltar ao mercado de sistemas operacionais móveis, onde hoje em dia ela tem atuação pífia. Para a segunda significa a própria existência!

Se a Microsoft abandonar o Windows Phone será apenas mais um produto que não deu certo. Para a Nokia significará o fim. O risco é todo da Nokia (por isso é mais interessante para a Microsoft).

Quanto aos outros sistemas operacionais….bem, a Nokia sempre teve vários! Senão vejamos: Symbian S60 (rebatizado de Symbian^3), Symbian S40 e Maemo. Sim, o Maemo existe faz tempo! O primeiro aparelho com ele saiu em 2005. Mas só agora com o N900 ele alcançou o estrelato pelo simples motivo de ter atingido uma ótima maturidade. Só não foi mais pra frente porque faltou visão à empresa e tratou o N900 como um mero internet tablet ao invés de um smartphone.

Por isso é até possível que ela continue usando outros sistemas em aparelhos, digamos, menos comerciais.

Uma coisa é possível dizer, sem muito medo de errar: os concorrentes agradeceram essa decisão, pois significa que muitas cabeças rolarão no setor de desenvolvimento da Nokia, e cabeças boas, que serão contratadas pela….concorrência! Basta ver que quem começou esse movimento foi o chefe da equipe do MeeGo, que há alguns meses saiu de lá para ir pra equipe responsável pelo WebOS.

Eu gostaria de estar errado, pois a Nokia sempre foi uma referência em matéria de hardware, mas acredito que estamos vendo o ocaso de um gigante. Não desejo o mal a ninguém, mas tenho a impressão de que em 4 ou 5 anos nos lembraremos da Nokia como a empresa finlandesa que dominou o mundo e derreteu junto com as calotas polares

Nexus S e N900

Depois de uma verdadeira batalha com a BestBuy para conseguir comprar o aparelho, finalmente estou com ele em mãos.

Primeiro o hardware. Ele é muito leve, principalmente se comparando ao N900. Chega a ser covardia. É um pouco mais largo, um pouco mais alto, e muito mais fino. A tela curva dele quase não se percebe (só é visível ao olhar o aparelho de lado).

Ele possui apenas 2 botões: liga/desliga (que serve para ligar ou desligar o aparelho e para ligar ou desligar a tela). E um botão de volume. Os outros botões são “virtuais”, e já conhecidos de quem mexeu ou viu qualquer Android (voltar, menu, pesquisar e home). Além, claro, da entrada micro-USB para conectar ao computador e carregá-lo e do plugue para fone de ouvido.

A construção dele, para alguns, pode parecer feia, pois ele é praticamente de plástico. Mas eu achei bonito. Além do que eu não quero um celular estiloso que chame a atenção de todos, mas sim um que funcione a contento.

Ele é rápido….MUITO rápido! A resposta aos comandos é instantânea. E a tela capacitiva me prega algumas peças de vez em quando, já que às vezes nem é preciso encostar nela para reconhecer o toque. Mas neste aspecto posso dizer: a tela do N900 continua sendo muito boa (não tanto quanto a do Nexus S, mas melhor que muitas outras por aí).

O software? Bem….aí não tem nem o que comentar. Só de clientes para o Twitter há 4 gratuitos muito bons, fora os pagos (e lembrando que entre os gratuitos há um oficial). Foursquare? Aplicativo oficial. Tudo isso sem comentar sobre os programas do Google, como o Maps, Earth, Goggles. MSN? Há pelo menos umas 10 opções para se escolher. E detalhe: considerei apenas softwares que possuem pelo menos 4 estrelas!

O Lito até se assustou quando colocou o chip no aparelho dele, e “magicamente” todos os contatos, telas, programas e afins apareceram. Isso é porque há um recurso que permite armazenar no Google todas as configurações do aparelho….ao trocar a sincronização é automágica (claro que é configurável e é uma das primeiras perguntas que o Android faz ao se ligar o aparelho).

A minha primeira batalha foi transferir os contatos do N900 pro Nexus S. Eu devo ter ficado, fácil, umas 5 horas tentando diversas coisas. A única opção que o N900 dá de exportação de contatos é para arquivos VCF, que serão gravados no próprio aparelho. Tudo bem….era só transferi-los depois. Mas como alterei a formatação do aparelho (deixando tudo em ext3, padrão do Linux), o programa de exportação simplesmente não conseguia gravar nada em lugar nenhum.

Pensei em usar o Ovi Suite para sincronizar com o aparelho, e no PC mandar exportar. Depois de ser obrigado a liberar mais de 500MB no disco para instalar a porcaria (considero uma porcaria algo gigantesco como aquilo), não achei opção nenhuma de exportação nele.

A alternativa?? Fazer backup no N900, reinstalar o firmware com o eMMC (para voltar à formatação original das partições), recuperar o backup, e exportar os contatos. Aí foi. Para colocar os contatos no Nexus S foi mais simples do que imaginei: copiei os contatos para um diretório nele, e fui no programa de contatos, opção importar, e ali havia uma opção “importar do armazenamento USB”. Dentro dessa opção ainda podia selecionar “importar um arquivo” ou “importar todos os arquivos”. Estranhei pois ele não perguntou onde estariam os arquivos…..selecionei “todos”. E de novo, automagicamente, todos os meus contatos estavam no Nexus S!

Ainda não consegui usar o programa de navegação dele, mas já percebi que o GPS funciona muito bem, obrigado (no primeiro uso ele fez a localização em pouquíssimos segundos, claro que usando o A-GPS, mas fez).

Ainda vou fazer alguns comparativos com as fotos, para ver como ele se sai (comparando as fotos tiradas por 3 equipamentos: Nexus S, N900 e uma Nikon Coolpix L110).

Só mais uma coisa: pra que teclado físico se existe o Swype?

É o fim

Ou pelo menos em parte.

Eu quase sempre tive aparelhos da Nokia. Não foram muitos até hoje, é verdade. O meu primeiro celular foi um LG, assim que a ainda-Telesp Celular-futura-Vivo lançou o Baby (primeiro plano pré-pago de telefonia celular em São Paulo).

Depois dele começou a “era Nokia”: o primeiro foi um 2280. Depois troquei por um 6235, meu primeiro câmera-fone (que apesar de tirar fotos apenas como VGA, o fazia com boa qualidade).

O aparelho seguinte foi o meu primeiro smartphone: o N73. Com ele comecei a expandir os horizontes, principalmente depois que comprei o módulo de GPS da própria Nokia, para usar junto com o hoje chamado Ovi Maps (na época se chamava smart2Go, e nem pertencia à Nokia ainda).

Com o lançamento do N95, achei que seria uma troca boa, já que teria um aparelho menor, mais poderoso, e me livraria do módulo GPS, já que o N95 tem um interno.

E fiquei com ele por um bom tempo….até que apareceu o N97. Quando eu estava quase trocando, vi a notícia do N900. Foi olhar pro aparelho e pensar: é esse aí que eu quero! Pesquisei um pouco, comparei os aparelhos, e decidi. E aí surgiu este blog e o fórum.

Estou com o aparelho há mais de 1 ano (foi comprado ainda na pré-venda, na Amazon).

Eu não sou fiel a sistema operacional móvel, mas costumo ser a marcas se tenho uma boa experiência de uso com elas. Com a Nokia sempre foi assim, por isso que não me preocupei muito em trocar o Symbian, velho conhecido, pelo Maemo.

Pensei que com o tempo o Maemo cresceria bastante, se fortaleceria, e o N900 seria o trampolim para ele. Que o aparelho é um monstro (em todos os sentidos), não há como negar: é grande, pesado, mas tem um ótimo processador, um sistema eficiente e muitas possibilidades de uso.

Porém, possibilidades de uso não implicam em uso efetivo. De nada adianta ter um carro com 6 marchas se nunca consigo chegar até a quarta.

Eu realmente esperava que a Nokia tivesse aprendido algo com seus erros, com os acertos dos concorrentes, que as coisas melhorassem. Mas não é o que acontece. No fórum do T.M.O., o responsável pelo Instinctiv disse que todo o desenvolvimento de software para o Maemo está congelado, inclusive sob chancela da própria Nokia.

E isso acredito estar claro para todos: não há praticamente ninguém fazendo software para o Maemo. E um smartphone sem programas passa a ser apenas um phone. Viver da bondade da comunidade é utopia. São necessárias empresas, dinheiro, para que as coisas sejam feitas.

Eu não quero ter que recorrer à pirataria para poder ter uma navegação por voz no meu aparelho. Não quero ter que instalar correções de terceiros que deveriam ser feitas pelo próprio fabricante para corrigir problemas ou colocar melhorias. Não quero me considerar à margem até pela empresa que faz o aparelho.

Não tinha trocado o N900 por outro porque não tinha aparecido nenhum que me chamasse a atenção. O iPhone pra mim é uma piada…para usá-lo de verdade eu preciso ter o iTunes, que não roda no meu sistema operacional. Portanto totalmente descartado….é o aparelho que tem que se adaptar ao meu uso, e não o contrário.

Não tinha vontade de ter um Android porque todos os fabricantes metem a mão no sistema, alterando-o, e quando sai uma nova versão o usuário precisa esperar pela boa vontade alheia para, quem sabe, atualizá-lo (vide a novela da versão 2.2 no Milestone). Sem contar que o quesito marca entra em ação de novo: não gosto da Motorola (marca que mais lança aparelhos com o sistema).

Aí apareceu o Samsung Galaxy S. Esse chegou a me chamar a atenção….porém, ele também é personalizado pelo fabricante, e portanto em algum tempo talvez já não esteja mais com a versão mais recente do Android.

Mas com o Nexus S, a segunda geração do Google-fone, a história é diferente. É um Android limpo, como concebido pelo Google, num aparelho com ótimas especificações, e ainda é um Samsung!

Eu já tomei a decisão, e trocarei o N900 pelo Nexus S.

Este deve ser, provavelmente, o último texto escrito neste blog por mim, até por uma certa falta de novidades para o N900 (sequer o Angry Birds de natal ainda foi aprovado pela Ovi Store). O blog não será excluído, pois acho que há muita informação aqui e que pode ser útil a todos os que possuem ou possuirão o N900. Também não se transformará num blog sobre Android. Ele nasceu tendo como tema o N900, e morrerá tendo o N900 como tema. Além do que, já há dezenas, centenas de blogs que falam sobre Android….não há necessidade de mais um.

O fórum também não será excluído, e não será fechado. Mas eu não terei mais uma participação muito ativa, visto que não usarei mais o aparelho.

Enfim, foi bom enquanto durou. Mas graças à incompetência, sonolência, lentidão e falta de visão da Nokia, ela perde um cliente, um usuário dos seus aparelhos e serviços, alguém que estava disposto a desenvolver para a plataforma, e sem ser falso modesto, alguém que ajudava os seus usuários mais do que ela própria.

Outlaw Solitaire

Este é um joguinho de cartas para aqueles que possuem um gosto pelo pôquer. O objetivo é formar jogos de pôquer na horizontal e na vertical com as cartas tiradas do baralho.

Ele está no repositório extras.

fonte: Nokia N900 Applications

Homescreen dockbar

As dockbar são aquelas barras utilizadas para executar e controlar aplicações em uso, que todos que já mexeram num Mac já viram. Hoje em dia são bem comuns em qualquer sistema operacional. Esta por exemplo é a que eu tenho no meu computador:

Pro N900 também há um dock, claro que muito mais rudimentar (até porque ainda está em desenvolvimento). Mas é uma mão na roda para quem coloca um monte de programas no desktop, já que eles ficam todos organizados e com ícones pequenos.

A configuração dele é bem simples: como qualquer widget, é só pressionar o ícone de configuração dele, e ir adicionando os atalhos. É possível colocar uma imagem de fundo.

Por enquanto apenas uma instância do widget pode ser adicionada ao desktop. Após instalado ele será automaticamente inserido no desktop principal (não estará no menu de configuração dos desktops). Então para encontrá-lo entre no modo configuração, e procure algum widget que tenha apenas os ícones de remover e configurar.

Ele está no repositório extras-devel.

Cúpula de paz

Este vídeo não tem muito a ver com o N900, mas é muito bom, e relativo a um jogo que existe para ele! Então acho que vale a pena compartilhar!

fonte: Gizmodo

Tags:

Acessando a internet via….cabo?

Se você não possui uma rede wireless na sua casa, mas possui uma rede cabeada, seus problemas acabaram. Claro, contanto que você tenha um adaptador RJ45-USB e um adaptador USB fêmea-fêmea.

fonte: My Nokia Blog

Dica útil ao telefonar

Acho que todos já passaram por isso, ou talvez passem: o telefone toca, você vai atender, mas a pessoa desiste antes que a chamada se complete. Então você vai retornar a ligação. Só que a pessoa possui dois telefones, e por algum motivo qualquer, você quer retornar em outro número (não naquele que a pessoa te ligou).

O normal seria abrir o aplicativo de telefonia, ver que há uma chamada perdida, selecioná-la e mandar discar. O problema é que só aparece ali o número do telefone no qual a chamada perdida se originou, e não todos os números do contato! O que até faz um certo sentido, afinal de contas você pode querer ver se a pessoa ligou do celular ou de casa (indicando que talvez ela não esteja em casa).

E o que fazer se você quer ligar pra outro número? Abrir os contatos, procurar a pessoa, e chamar o outro número.

Bem…..há um pequeno atalho para isso: na tela que exibe o número da chamada perdida basta pressionar o ícone/desenho/foto do contato que serão apresentados todos os números cadastrados para ele! Aí é só selecionar aquele pro qual deseja ligar…

Uma coisa simples, funcional, bem pensada, pena que não muito divulgada….até agora!

fonte: The Nokia Guide

Acessando por SSH como usuário comum

O acesso ao aparelho via SSH é uma mão na roda, pois permite por exemplo fazer coisas no aparelho sem ter que ficar caçando teclas nele, ou sofrendo com a minúscula janela do terminal.

Sem contar que a cópia de arquivos também pode ser feita através dele (usando o protocolo SFTP), quando o cabo de dados não estiver disponível ou quando não for possível acessá-lo via armazenamento em massa (por exemplo, quando um programa mantém algum arquivo aberto na partição que seria exportada).

Mas originalmente apenas o usuário root pode se logar no N900 através de SSH. Isso pode trazer alguns problemas, como comandos em lugares errados que danifiquem algum arquivo essencial, ou cópia de arquivos com permissões erradas. Claro que é fácil evitar isso: basta dar o comando “su – user” que você estará logado como usuário comum. Mas quem é que vai ter paciência de digitar isso sempre? Sem contar que via SFTP isso não funcionará.

Para habilitar o acesso ao usuário comum é preciso definir uma senha para ele. Por padrão o N900 não deixa esse usuário ter senha! Para habilitar isso vamos alterar um arquivo do sistema. MUITO CUIDADO ao mexer nele!

Vou dar as instruções usando o editor vi, que está pré-instalado no N900. Como root:

vi /etc/passwd

Procure a linha, usando as setas, que começa com user. Ao encontrá-la, você terá algo assim:

user:!:29999:29999::/home/user:/bin/sh

Vá até onde está a exclamação, tecle “x”, depois “i”, “*”, e a tecla ESC (tudo sem as aspas e letras minúsculas, claro). A linha ficará assim:

user:*:29999:29999::/home/user:/bin/sh

Agora é só salvar o arquivo: tecla “:” (dois pontos), o cursor irá para a última linha do editor, e “x” (tudo sem aspas e letras minúsculas também). E por fim, é só alterar a senha do usuário (ainda como root):

passwd user

Ele vai pedir a digitação da senha duas vezes. Pronto! Agora o usuário comum já possui uma senha, e devido a esse fato já é possível fazer o login via SSH usando ele.

Há um último passo, opcional: ele vai impedir que o usuário root seja usado para entrar via SSH. Isso é apenas uma questão de segurança, para evitar acidentes. Como root:

vi /etc/ssh/sshd_config

Busque pela linha que começa com PermitRootLogin (no meu caso, é a linha 26). Vá até o início da palavra “yes” e apague-a (tecla “x”). Depois insira a palavra “no” no lugar (shift + A colocará o vi no modo de edição, com o cursor já no final da linha). E salve o arquivo (“:”, x, sem aspas).

A alteração no SSH passará a valer quando o serviço (ou o aparelho) for reiniciado.

Reconhecimento de face e voz

Já havia comentado sobre este projeto. Neste vídeo é possível ver o reconhecimento ser usado para permitir o acesso a redes sociais.

fonte: Daily Mobile