O terminal num sistema GNU/Linux é extremamente poderoso. Em tese, não seria sequer necessário que existissem ambientes gráficos para que o sistema pudesse ser plenamente utilizado. Existem até navegadores totalmente texto para serem usados no terminal!

Mas ele também não é fácil de usar, e num primeiro contato assusta muito! O usuário fica pensando “o que eu estou fazendo aqui”…”e agora?”!

Infelizmente, para todos os que compraram o N900 e pretendem utilizá-lo a pleno vapor, em algum momento terão que colocar as mãos numa telinha do terminal. O real poder do aparelho só será conhecido (e utilizado) por lá.

Esta dica é para editar arquivos nele. Existem muitos editores disponíveis, mas dois são muito utilizados: o vi (lê-se vi-ai) e o nano. O primeiro já está pré-instalado, não sendo necessário fazer nada para utilizá-lo. Já o segundo precisa ser instalado, via linha de comando: “apt-get install nano” (sem as aspas, e como root).

Como o nano apresenta algumas opções no rodapé, não é necessário se aprofundar muito no seu uso, já que as opções estão ali, visuais, ao alcance de algumas poucas teclas.

Já o vi requer um conhecimento prévio, e tem uma curva de aprendizado alta (demora até aprender a usá-lo relativamente bem). Mas apesar disso, ele é extremamente poderoso, e praticamente onipresente em qualquer sistema GNU/Linux. Uma introdução aos seus comandos pode ser vista no Viva o Linux, e uma lista mais completa dos seus comandos e funções pode ser vista aqui.