O tocador de mídia VLC está a caminho para o N900 também. Para quem não conhece, esse programa é o canivete-suiço do ambiente GNU/Linux em se tratando de áudio e vídeo. Ele possui versões também para Windows e Mac.

Qualquer formato que você possa imaginar, é enorme a possibilidade de que o VLC possa tocá-lo. Ele inclusive consegue tocar streaming de áudio e de vídeo.

No Maemo.org há um tópico interessante (que foi a origem da notícia, inclusive), onde é discutida se vale a pena existirem tantos programas para uma mesma coisa.

Outro ponto discutido é sobre o motivo do sucesso do VLC: ele toca de tudo porque ele inclui, internamente, os codec’s necessários para tocar/exibir os arquivos.

Isso quebra um pouco o conceito do GNU/Linux, que é a modularidade. Um codec só precisaria ser instalado uma única vez para que diversos tocadores o pudessem usar. Ao ter o VLC instalado, e mais um tocador (o padrão do aparelho, por exemplo), você poderia ter duplicidade de codec’s na memória.

Mas aí vem outra questão, que eu acho mais importante que a modularidade: não é mais importante ter um programa que faça aquilo que se propõe a fazer, sem dificuldades?

Eu acredito que a discussão lá está mais no ponto “puristas X usuários comuns” que outra coisa.

fonte: Maemo.org