Foi feito um teste interessante de uso de bateria tocando arquivos musicais codificados em MP3 e em Ogg.

Antes uma breve explicação sobre os formatos musicais. Todos conhecem o MP3. O problema é que o codificador, utilizado para transformar o arquivo musical em MP3, é patenteado e tem seu uso restrito. Assim como o decodificador (utilizado para tocar o MP3). Em alguns países, o dono da patente (Instituto Fraunhofer) tenta cobrar royalties sobre a utilização do MP3.

O formato Ogg veio como uma solução open-source, gratuita, e teoricamente superior ao MP3. Mas justamente pelo MP3 estar tão difundido, o Ogg não faz muito sucesso.

Voltando ao teste…qual é a real utilidade dele? Num aparelho móvel, a gargalo é sempre a bateria. Então quanto menos você exigir dela, maior é a sua mobilidade.

O teste consistiu em descobrir qual dos dois formatos de arquivos consumiria mais bateria (ou seja: faria o aparelho ter uma autonomia menor). Foram testadas duas versões da biblioteca de decodificação Ogg. Numa das versões concluiu-se que o MP3 gasta menos, mas com a outra versão, o consumo foi quase igual (levando em consideração possíveis margens de erro).

A questão é saber quem terá sucesso nessa guerra: a Nokia melhorando o algoritmo de decodificação do MP3, ou a comunidade com Ogg?

Testes assim podem parecer a princípio sem utilidade. Mas um pequeno ganho na autonomia da bateria pode garantir muito tempo se divertindo a mais sem se preocupar com a carga do aparelho, ou de ficar na mão!

fonte: Tuomas Kulve, via Maemo.org