Arquivo por categoria firmware

Sygic com mapas do Brasil e novo firmware: quem chega primeiro?

Sinto não poder dar uma resposta concreta, mas recebi um email da Sygic, respondendo meu questionamento sobre quando lançarão os mapas brasileiros.

Dear Sir,

We are currently working on adding new maps for Maemo version, so it will have at least same coverage as Mobile maps for other platforms. Unfortunatelly I’m not able to tell you when Brazilian maps will be available, I can only tell you, that we will definitely release Brazilian maps. Hopefully it will be within a month.

Thank you for contacting support and your interest in our products!

Best regards,

Jozef Vojtko I Sygic a.s. I Technical Support I e-mail: support@sygic.com I web: www.sygic.com

Traduzindo: “Estamos atualmente trabalhando na adição de novos mapas para a versão do Maemo, assim ele terá a mesma cobertura de mapas das outras plataformas. Infelizmente não sei dizer quando os mapas do Brasil estarão disponíveis, o que posso dizer é que com certeza serão lançados. Quem sabe daqui a um mês.”

Enquanto isso, pela internet, pipocam as versões piratas do programa com os mapas tupiniquins. Já não sei dizer se é má vontade mesmo…lamentável.

Enquanto isso, na Nokia…..
– Estagiário….me traga um café!
– Mas senhor, eu ia desligar a cafeteira para poder colocar o servidor com a nova atualização do N900 no ar!
– Os usuários já esperam há bastante tempo! Não vão se importar de esperar mais um pouco! Quero meu café!

Por que não é possível instalar vários programas ?

Aqueles que costumam instalar programas do repositório extras-devel já devem ter notado que muitos programas não estão instaláveis, assim como muitos outros não estão atualizáveis.

Alguns reclamam da libhildon1, outros de algum componente do Qt.

O problema todo reside no fato de que muitas bibliotecas foram atualizadas. Porém essas versões atualizadas só serão colocadas no aparelho quando o firmware novo for lançado…o que ninguém sabe quando será.

Explicando mais a fundo: todos os programas podem ter dependências. Ou seja, um programa pode depender de alguma biblioteca. E essa biblioteca, geralmente, deve estar em sua última versão. O sistema do Maemo.org indica qual é a versão da biblioteca que o programa espera encontrar, e caso a versão instalada seja mais velha que a versão esperada, o programa não é instalado.

Isso é uma questão de segurança, pois o que garante que o programa não fará uso de alguma função da biblioteca que só foi implementada na última versão? Impossível saber.

O que gerou todo esse problema é que, como dito acima, muitas bibliotecas foram atualizadas, e o repositório de desenvolvimento já está configurado para essas novas versões. Então ao pedir para instalar um programa, ele já está apontando para a versão mais recente, que não está ainda no aparelho.

A solução? Esperar. Não há nada que possa ser feito a não ser esperar até que o firmware seja lançado.

Muitos podem reclamar, espernear, resmungar, mas vamos lembrar que o repositório extras-devel é de programas em desenvolvimento, que normalmente não deveriam ser instalados por usuários comuns. Claro que isso num mundo ideal, onde os programas seguissem todos os passos normais dentro dos repositórios do Maemo.org….que não acontece, pois muitos são criados e deixados por lá, mesmo que funcionando 100%.

MeeGo: dia 1…HOJE!

Segundo prometido pelos responsáveis por tocar o MeeGo, no final do mês de março foi liberada a primeira versão do MeeGo, ainda versão (diria eu) pré-alpha.

Para os que quiserem se aventurar, é possível baixar uma imagem do sistema e rodar à partir de um pen-drive ou do cartão de memória do N900. Mas não se assanhem muito, pois por enquanto ele é apenas um terminal. É possível baixar versões para os processadores Atom da Intel, e para o N900.

Há também uma imagem contendo binários proprietários da Nokia para instalação no N900 (é preciso digitar o IMEI do seu N900, e aceitar a licença de uso).

Há alguns poréns que devem ser observados: ao instalar qualquer um desses sistemas no N900 diretamente é equivalente a instalar um firmware do zero no aparelho (adeus programas instalados e talvez algumas informações pessoais). Sem contar que há um aviso no Maemo-Freak dizendo que não existe gerenciamento da bateria nesses binários, então corre o sério risco de danificar a bateria do aparelho caso a sua carga se esgote completamente (o aparelho não vai se desligar para preservá-la, por exemplo).

De qualquer forma, além de ser uma boa notícia, significa que é possível confiar nos responsáveis pelo MeeGo, pois prometeram e cumpriram. E não é piada de 1o. de abril!

fonte: Maemo-Freak e MeeGo

Tags:

Informações sobre o novo firmware

Não é a data de lançamento, mas é o que talvez deva vir nele. Isso é baseado nas alterações feitas no SDK (Software Development Kit, que é o que os desenvolvedores usam para programar para o N900).

Esta é a lista de novas funcionalidades:
– Qt 4.6.2 agora vem pré-instalado no sistema.
– Alterações na gravação de vídeos no aplicativo da câmera.
– Vídeo-chamada agora pode ser acessada através dos contatos.
– É possível discar códigos USSD (aqueles códigos das operadoras).
– Não há mais o item “mais” no menu, e ele é configurável.
– Teclado virtual foi modificado e está com aparência diferente.
– Gerenciador de Arquivos agora pode compartilhar qualquer arquivo/diretório (enviar por bluetooth, por exemplo).
– Digitar no Gerenciador de Aplicações inicia uma busca (ao invés de ir até o menu e selecionar a busca).

E a lista de bugs resolvidos é bem longa. Colocarei apenas alguns que achei mais importantes, e está após o break.
Leia mais $raquo;

Nova atualização dando as caras

O primeiro sinal de que a nova atualização está chegando foi o lançamento do SDK para ela (como informou o Patola).

E graças a isso algumas telas foram capturadas no emulador, e algumas opções novas apareceram, como a rotação do navegador sem necessidade do atalho do Control+Shift+O, o botão de voltar do navegador efetivamente voltar para a página anterior (ao invés de, irritantemente, exibir o histórico), também no navegador alterar a função das teclas de volume para que alterem o volume (ao invés do zoom), mas há 3 alterações dignas de colocar a captura da tela.

A primeira é o teclado virtual:

Eu particularmente não acredito que ele seja assim, pois seria um tremendo retrocesso em matéria de design. Mas espero sinceramente que tenham colocado de volta as funções retiradas (e que eram extremamente úteis).

A outra imagem é relativa ao menu de aplicações:

Será possível alterar a ordem dos ícones! Também espero que seja possível criar sub-menus. Eu particularmente uso o Catorise, pois não gosto de ter tudo numa única tela e ter que ficar caçando o programa (alguém pode perguntar então porque não crio um atalho pro programa…mas há alguns que são pouco utilizados, e encher os desktops de atalhos vai deixar tudo tão poluído quanto um menu com todos os itens), mas o Catorise tem um problema: não permite alterar os ícones de local de forma fácil. Eu não quero ter um jogo que baixei da Ovi Store no sub-menu Ovi, mas sim no subm-menu de jogos.

E a última é uma característica que também faltava:

A possibilidade de, através do menu de contexto (obtido ao pressionar e manter por algum tempo do dedo em algum item na tela), de compartilhar um arquivo qualquer. O compartilhamento através de bluetooth por exemplo só está disponível para vídeos e fotos (exceto usando o Petrovich).

Quando essa atualização verá a luz do dia? Só vamos saber quando acontecer! Mas está próximo…

MeeGo virá para o N900

Algumas informações interessantes foram publicadas no site do MeeGo. Mais especificamente, no blog de um dos responsáveis pelo grupo de orientação técnica do projeto.

Segundo ele, a Nokia e a Intel colocaram como prazo o final deste mês (março) para a abertura do repositório oficial do MeeGo. Segundo ele, esse será o “Dia 1” do projeto.

Na verdade, esse repositório não é um repositório de programas, como o “extras”, “extras-devel”, e afins….esse repositório é onde será colocado o código-fonte do MeeGo. Ou seja: o código do sistema operacional em si. Nada que vá servir para o usuário comum.

O que está agendado, após a “abertura” do repositório, é a inclusão de uma versão base, bem crua, dos fontes e binários do MeeGo. O que isso significa?? Significa que aqueles usuários mais experientes, corajosos (e às vezes com um instinto meio suicida) já poderão tentar colocar o sistema nos seus aparelhos. Os resultados são imprevisíveis.

Digamos que isso seria a versão alpha do MeeGo.

Mas a parte boa: vão fazer com que o código rode nos processadores Atom, da Intel, e também no N900!

Eu, particularmente falando, ainda não soltaria rojões! O fato de uma versão preliminar rodar no N900 não significa que a versão final rodará. Principalmente porque ao desenvolver qualquer software você precisa, obrigatoriamente, de um ambiente para testá-lo. É possível usar simuladores….mas simuladores, bem, apenas simulam!! Não são reais, e podem não responder de forma real a ações reais. Por isso ele precisam de algo “de verdade” para testar o sistema….e por enquanto, a única coisa “real” que eles tem é o N900.

Apesar de ainda não soltar rojões, eu nunca escondi que tenha convicção que o MeeGo também virá para o N900.

Outra coisa que ele deixou claro é que o sistema todo terá o código-fonte livre. Aqui há outro porém….isso não significa que TODO o software base do aparelho será livre! A Nokia pode querer deixar fechados alguns drivers, como acesso à telefonia, bateria, etc. Para exemplificar isso, posso citar uma instalação de qualquer GNU/Linux num desktop que tenha uma placa de vídeo da Nvidia. Para usar todo o poder da placa, é necessário um driver de vídeo que funcione direito com ela….e hoje em dia esse driver é feito pela própria Nvidia, e é fechado! No fundo, o usuário pode ter acesso a todo o código-fonte do seu sistema operacional….exceto o driver da placa de vídeo.

Eu acredito que a resposta final para a pergunta mais urgente só teremos dentro de alguns meses: o N900 rodará a versão final do MeeGo?

Mas até lá muita água vai passar por baixo da ponte!

Obrigado ao Dercio Costa pelo aviso da notícia!

Tags:

Porque não é preciso temer o MeeGo

Depois que li um texto, com chamada nas news do Maemo.org, parei pra pensar e realmente não há porque ficar com o pé atrás em relação ao MeeGo.

Qual é o maior medo das pessoas em relação a essa mudança? Ficar com um sistema operacional defasado ou que os aplicativos criados para o novo não rodem no atual?

Ficar com o sistema defasado, sinto muito dizer, vai acontecer inevitavelmente! Vejamos só: se o Harmatan/Maemo 6/MeeGo 2.0 for lançado num aparelho multi-toque, o N900 mesmo que rode o sistema, já estará defasado porque não conta com esse recurso (se bem que há uma discussão interessante no Maemo.org a esse respeito, mas serve de exemplo).

Quanto aos softwares…..bem, aqui caímos num problema de conceitos. As pessoas não estão acostumadas à filosofia do GNU/Linux. A começar por como é formado um sistema nessa plataforma. Não existe apenas um elemento, como é no Windows.

No sistema da Microsoft o sistema de janelas está intimamente conectado ao sistema de arquivos que está intimamente ligado ao núcleo do sistema. É tudo uma coisa só! Tente arrancar fora o Internet Explorer…o máximo que você vai conseguir é desabilitá-lo. Mas ele continuará ali!

Não é assim no GNU/Linux.

No sistema livre temos um núcleo básico, que por si só não faz absolutamente nada (o famoso kernel). Para ter uma interface gráfica, é colocado junto ao kernel o X, que é o responsável por fazer a comunicação entre o kernel e a placa gráfica. Em cima do X, temos o gerenciador de janelas, que pode ser o KDE, o Gnome, o Enlightenment, o LXDE, ou, no caso do N900, o Hildon.

E temos as bibliotecas gráficas que, nativamente, cada gerenciador gráfico utiliza (que já comentei anteriormente). Um programa apenas vai decidir qual biblioteca gráfica e quais recursos do aparelho usará. Se os requisitos forem cumpridos no aparelho, ele vai rodar o programa! Seja ele um N900, N920, N2000 ou um Symbian da vida!

No máximo talvez seja necessária uma recompilação se a arquitetura for diferente (por exemplo, um programa feito em Qt para o N97 e para o N900).

Se o medo é que o próximo sistema seja muito mais bonito e funcional que o atual, e não possa ser instalado nos aparelhos atuais, é duro admitir, mas é assim que as coisas funcionam! A Nokia vive de vender aparelhos. Se ela lançar um sistema que funcionará igual no N900 e num futuro aparelho, para que eu iria comprar o novo?

E cá entre nós, a média de lançamentos de aparelhos é exatamente de 1 ano. Senão vejamos: em 2006 foi lançado o N95. Em 2007 veio o N95-8GB. Em 2008 o N96 e em 2009 o N97. Uma sequência “familiar”, com um aparelho por ano. E o iPhone: em 2007 foi lançado o “original”, em 2008 o 3G e em 2009 o 3GS. E agora em 2010 já se espera um novo em junho ou julho.

Ou seja: na prática, na realidade, quando alguém compra um aparelho top de linha, ele não está comprando um top, pois o seu sucessor já está quase entrando nas linhas de produção. É um ciclo, e sempre será assim.

Eu torço para que o novo sistema operacional possa ser instalado no N900. Mas se não for, bem, enquanto o N900 der conta do recado, é com ele que ficarei (como foi com o N95, que utilizei durante 3 anos).

Tags: ,

Pequena lista de correções

Há uma página na wiki do Maemo.org onde mostram as alterações neste último firmware, o 3.2010.02-8.002.

É difícil dizer o que efetivamente foi alterado, mas eu diria que em breve devem voltar os aplicativos pagos na Ovi Store para Maemo, pois a lista de alterações inclui o apt (quando fazendo downloads seguros), que é o pacote utilizado para baixar e instalar programas, assim como alterações no Gerenciador de Aplicativos.

Esta é uma lista das correções de bugs apontados pela comunidade (os links levam para as respectivas entradas no bugtracker):

Navegador
Imagens do histórico não condizem com a URL atual
Novas janelas do navegador não são atualizadas quando a página é carregada em segundo plano

Conectividade
Wifi não reconecta até reiniciar o aparelho
Vodafone Itália: ponto de acesso (APN) errado é auto-configurado

Núcleo
OpenGL ES 1.1 deveria ser suportado

Configuração e Manutenção
apt-get dá erro quando o sistema fica sem ptys (terminais virtuais)

Sistema
Bateria morre com menos de 6 horas com uso bastante moderado (IP estático?)

Telefonia
Versão errada do cmt-firmware-rx51 (celular-modem) no firmware publicado?

Firmware novo no ar

Ou segundo o que li, uma pequena atualização, que prepara o aparelho para outra maior que sairá até o final de fevereiro. Este agora é a versão 3.2010.02-8.002.

Não saiu um changelog oficial (ainda), e dizem que talvez não saia! Mas alguns usuários disseram que o navegador está mais suave e o media player com som mais alto. A navegação notei lá muita diferença e ouvir música também não sei pois não costumo usar os falantes, e tampouco deixar num som alto os fones de ouvido.

Enquanto escrevia o post, deixei atualizando (tive que desabilitar os repositórios extras e remover alguns programas para liberar espaço). Não notei nenhuma diferença no aparelho.

O Maemo, o Moblin e o MeeGo

A notícia do dia foi o lançamento do MeeGo, que é a fusão de dois projetos: o Maemo (capitaneado pela Nokia) e o Moblin (tendo a Intel por trás).

A primeira coisa que muitos vão dizer é “o N900 mal nasceu e já morreu“, ou então “mal o Maemo apareceu no mercado e já sumiram com ele“.

Para os pessimistas de plantão, algumas informações: assim que o N900 foi lançado, já era sabido que a Nokia trabalhava na próxima versão do Maemo, chamado de Harmatan (ou Maemo 6). Portanto a fusão do Maemo com outro projeto em absolutamente nada muda o destino traçado para o N900.

O que vai determinar a longevidade do aparelho, neste primeiro momento, é saber se a próxima versão do sistema operacional (o agora chamado MeeGo) será instalável no N900. Caso não seja, meu amigo, eu tenho uma triste notícia pra te dar: isso não significa a morte do N900! E o motivo é bem simples: grande parte de todo o sistema que roda no aparelho tem o código-fonte disponível. Portanto, QUALQUER PESSOA pode alterá-lo, melhorá-lo, e disponibilizá-lo (tanto que existe por aí uma versão diferente do kernel para o N900, feita pela comunidade).

A única coisa que se deve ter medo é do abandono da Nokia em relação a bibliotecas que ainda são fechadas, como o navegador (apesar de agora já termos o Firefox), ou bibliotecas de mais baixo nível, como acesso aos módulos de GSM, GPS, que eu não sei se são totalmente livres ou não. Mas essas bibliotecas, uma vez estáveis, não devem sofrer alterações…e pelo que me consta, elas são bem estáveis agora (favor não confundir bibliotecas com programas que as usam).

A história do Moblin é relativamente recente, e ele surgiu junto com os atualmente chamados netbooks. A intenção da Intel ao criá-lo era colocar um sistema operacional totalmente personalizado (e consequentemente otimizado) nos equipamentos que utilizariam o chip Atom. A ideia original era permitir usar um computador mais simples, para coisas mais simples também (como navegar na internet ou usar comunicadores instantâneos) e de uma forma rápida. Por isso o Moblin seria pré-instalado no equipamento, e com um carregamento muito rápido (poucos segundos, não mais do que uns 10). Tanto que algumas placas-mãe possuem no seu BIOS uma versão do Moblin, para quando tudo que o usuário quer é ver algo rápido na internet e não quer esperar alguns minutos para o sistema operacional estar…..hmmm….operacional!

Só que o Moblin sofreu com dois problemas. O primeiro: as pessoas passaram a substituir o notebook pelo netbook, então passaram a querer editar textos, planilhas, ver filmes, armazenar suas fotos…e o Moblin não estava assim tão preparado para isso.

E o outro problema, que veio em decorrência também do problema anterior, é que as pessoas passaram a instalar o Windows nos equipamentos. Infelizmente poucos aceitam mudar aquilo com o qual já estão acostumados. Já tinham Windows no computador de casa, no computador do trabalho, então queriam ter no netbook também. Isso diminuiu o mercado do Moblin.

A intenção da Nokia e da Intel é interessante. Porém, não é nova. A Sun já tinha tentado algo parecido com o Java, e falhou. Alguém por acaso lembra qual era o mote do Java assim que ele surgiu? Seria a linguagem de programação utilizada em computadores, aparelhos móveis, geladeiras, torradeiras, microondas e por aí vai. Só há um pequeno problema….a única coisa em que uma máquina de lavar se parece com uma torradeira é que ambos são ligados na tomada. Então cada equipamento teria que ter a sua máquina virtual…..o que, cá entre nós, é totalmente inviável!

E achar que um sistema operacional irá rodar em tantas coisas como eles imaginam, é um tanto utópico.

Vamos ver o que o futuro reservará para o MeeGo. Ainda é cedo para dizer algo concreto, visto que o sistema sequer existe em sua versão final, e não temos nenhum exemplo prático da sua utilização.

Tags: , ,